sábado, 28 de outubro de 2017

[NEWS] Crescimento meio a dor



Com uma dança única em um visual diferente, com cabelos vermelhos, franja e maria chiquinhas, Gena de Souza estreiou na música com um jeito muito descontraído. Na entrevista a seguir, a tailandesa-portuguesa nos contou um pouco de seu trabalho e de sua vida.




Gena sempre se interessou por muitas coisas. Há três anos, quando era apenas uma estudante, fez um cover e postou na internet, ganhando bastante notoriedade. Gena então foi convidada a participar de um reality da MBO, chamada "The Idol Game" e era considerada uma das participantes mais fortes. Gena participou de séries também, de "#Pedidol" e "The Underwear", e seu papel como lésbica foi realista o bastante para chamar atenção.

Apesar de parecer forte e confiante, ela é apenas uma adolescente e, como outras, também passou pelo período de confusão e dor.

A música de trabalho da moça, "Drunk", foi lançada na metade de Setembro, pela GMM Grammy. Ela pretendia excluir  o termo "ketchup girl" de suas canções como uma marca pessoal, mas disse que foi difícil, já que é grande fã do tempero. Logo, o vídeo terá mais de dez milhões de visualizações. Por causa de sua música colorida e com ar jovial, muitos dizem que Gena é o rosto da nova geração do thai pop.

Acredita que ela não pensava em ser cantora? Ela começou a estudar canto quando esperava uma prima, na escola. Então, sua mãe decidiu colocar Gena com a prima nas aulas.


O que você quer passar com a letra de seu single?

"Quero que as mulheres se livrem do que chamam de irreparável. Se ele nos deixa, não podemos fazer disso um motivo para não nos amarmos. Qual foi a última vez que você encontrou seus amigos? Antes de namorar, sua vida era divertida. Quero dizer que tudo bem terminar um relacionamento. Tente encontrar o lado positivo disso e se curta."

Quando a Gena cantora teve seu início?

"Comecei a cantar sem intenção de seguir. Estudei por seis anos e acabei parando no ensino médio. Eu gostava de cantar músicas antigas, como as de Mariah Carey, Celine Dion, Whitney Houston, Beyoncé Knowles, e Destiny's Child. Meu professor dizia que eu seria melhor se cantasse essas músicas e aprenderia mais. Depois de meio ano, percebi que gostava mesmo de cantar."

Que tipo de músicas você gosta?

"As letras do Diva são muito relevantes para a vida. Eles usam a maioria de suas experiências para fazer canções. Eles conseguem colocar suas marcas em apenas algumas palavras, como a música Listen, da Beyonce. Ela escolheu uma palavra e nos ensinou a realmente escutar, e acho isso muito legal."
Quando cresci um pouco mais, comecei a ouvir jazz e R&B, especialmente quando combinadas com dança. Acho que dá um toque a mais."


O que te motiva a cantar?

"Gosto de assistir grandes artistas nos palcos. Todos olham para eles e sempre tem gente cantando junto. Isso me motivava a cantar quando pequena. Achava que era um sonho muito difícil de se alcançar, mas quando comecei a estudar canto, as coisas mudaram. Em uma prova, meu amigo me gravou e postou no SocialCam. Muitos assistiram e fiquei empolgada e me inscrevi no aplicativo, onde postei mais. Pedi a esse amigo que adicionasse um piano e um violão. Não esperava que ganhasse tanto reconhecimento, foram mais de 300k de seguidores. Foi o que me fez pensar em seguir em frente." 

Como a MBO entrou em contato com você?

"Eles me mandaram uma mensagem no Social Cam logo depois que deletei. Disseram que estavam com um novo projeto e que tinham visto meu vídeo, que talvez me interessasse. Tudo aconteceu tão rápido, que, em menos de um ano, já estava no reality e no seriado."


Como adolescente nessa indústria, como cria sua identidade?

"Não faço nada. Eu apenas tento não me esconder e é isso que espero para os outros. Que não se escondam para serem aceitos. Se eu me escondesse, as pessoas iriam se chatear."

Como foi a experiência no The Idol Game?

"As pessoas acham que disputei com amigos, quando a disputa era comigo mesma. Eu fiz minha parte. Meu melhor. Não me importei se iria vencer ou perder, só que deveria aceitar o que viesse. Ganhei experiência de vida, não conseguiria isso sozinha."

Durante a competição, aprendemos a cantar, a atuar. Aprendemos a ter foco. E a reconhecer o que todos estão fazendo e como te vêem. A opinião deles conta. Aprendemos a falar com os outros do jeito correto, porque as pessoas não são iguais. Aprendemos a nos vestir, como andar. Como segurar as coisas. Aprendemos muitas coisas que podemos levar para a vida."

Como você lida com a pressão?

"Por ser algo que eu quero há muito tempo, eu me pressiono muito. Não sei se alguém me escutaria, sou nova nesse tipo de negócio. A gente sente medo de que não gostem ou não compreendam. E aí a pressão só aumenta. Durante o processo, achei que estava fazendo meu melhor. Afinal, sempre esperamos o melhor."

Quão difícil foi lidar com isso?

"As pessoas mais próximas colocaram muita expectativa em mim. Acho que devemos sim, ter altas expectativas, mas chega uma hora que não conseguimos mais lidar com a pressão. Uma vez, comecei e a staff disse para que eu me acalmasse e repensasse. Não dá para viver a vida assim. Quem vai gostar de você se você não acredita em si mesma? Agora, sou diferente. Tenho uma atitude diferente, oque me faz ver o mundo de forma diferente e acho que ninguém vai me impedir. Não deixo que as pessoas criem expectativas irreais em mim, e acho que estou bem melhor assim."


Você disse que era muito teimosa quando criança. Como isso mudou?

"Eu não era uma criança muito quieta e achava que ninguém me compreendia. Eu escolhi ficar sozinha. Então esse momento de reflexão foi bom para que eu revisse meus péssimos hábitos.
Se eu não tivesse tido essa reflexão, continuaria sendo uma pessoa difícil porque eu era muito mais geniosa. Eu tinha que ter tudo o que eu queria e ninguém poderia me irritar.
Lembro que, na escola, meus amigos pararam de falar comigo. Eu achava que tinham feito uma fofoca sobre mim e me perguntei qual era o problema, já que ninguém falava comigo. Mas também fiquei pensando, já que todos diziam que eu era muito metida e egoísta. Me lembrei de como meus pais diziam que eu era muito teimosa com tudo. Acho que é verdade. Eu decidi me desculpar, me desculpei um a um. Eles me disseram que queriam que eu soubesse que aquilo estava ficando intolerável.
Aquele dia teve um peso muito grande em minha vida. Em uma semana, mudei radicalmente. Eu era pessimista e não queria que os outros soubessem. Quando penso naqueles dias, em como me sentia fraca e solitária, lembro que hoje, sou forte e tenho pessoas boas ao meu lado."

Dizem que seu estilo de se vestir é ruim. O que acha disso?

"Faço nada, deixem que falem o que quiserem. Se me conhecessem, saberiam que é só uma imagem que me faz parecer mau educada e grossa. Só quero dizer que estou aberta a conversas.
A maioria dos adultos acham que sou ruim porque tenho tatuagens e porque me visto diferente de outras mulheres. Também achava isso. Minha gravadora fez uma pesquisa com adolescentes sobre o que achavam de moda e de mim. Eles disseram que eu parecia malvada, uma menina com quem não namorariam. Quem mais gosta de mim são as meninas."



Em outras palavras, suas roupas também falam.

"Nossas roupas são sempre uma barreira. Demonstramos em nossas roupas se queremos ou não que outras pessoas se aproximem. Nos vestir é uma defesa pessoal. Não sou uma pessoa normal, que vai usar o mesmo tipo de roupas que outras mulheres. Quem vem falar comigo é porque realmente têm algo a dizer.

O que quer dizer aos adolescentes que têm sonhos mas que não sabem o que fazer?

Tudo precisa ter um início mas é preciso ter paciência. Se tentar atropelar o andamento natural das coisas, vai dar errado. Há muitas pessoas que dizem que querem ser cantoras mas não é tão fácil quanto parece. É preciso treinamento constante.  Quero que as pessoas façam o que elas realmente gostam, que tentem."


Qual é a maior prova de que você realmente gosta de cantar?

"Sempre queremos outras coisas. Mas sempre voltamos ao sonho de cantar. Não devemos forçar. Se gosto de cantar desde pequena, gosto disso. Já tentei fazer varias outras coisas, direção, fotografia, estilista. Depois de tentar tudo, voltei a cantar. E é isso que tenho de talento.."

O que mais espera como cantora?

"Não sei como cheguei até aqui, sério. Quero ser uma cantora que todos se lembrem. Tudo muda todos os dias, temos que fazer valer a pena enquanto estamos aqui."

As três tatuagens que demonstram a personalidade de Gena

1. Leave me alone




"Essa foi feita porque eu sentia que as pessoas não me entendiam. Eu sentia que meus amigos não me entendiam e que iam sumir. Quando todos foram embora, fiquei muito mal por ninguém me apoiar.  Nessa época, ninguém me apoiou. Nem os familiares, porque ninguém se interessava por mi. Mas precisava disso. Achava que só eu era a desajustada. Odiava tanto o mundo. Achava que as pessoas eram crueis. Todos tinham que fingir amor para que a amassem. Então fi essa tatoo mas eu sou forte. (risos)"


2. " "


"No início, ia escrever uma palavra mas eu ficava mudando toda hora porque sou do tipo de pessoa que sempre mudando de opinião. Então resolvi fazer aspas. Qualquer que seja a palavra, eu vou colocar ali. Qualquer pessoa pode adicionar o que quiser ali. Mostra que não sou uma pessoa parada.".

3. De Souza


"Essa tatuagem é meu sobrenome. Na escola, minha família teve muitos problemas. Achei que eu não deveria ter nascido. Por que eu não nasci numa pessoa melhor? Não podia ficar sozinha porque eu sempre chorava no trem. Sentia que minha vida era horrível. Não queria ser a Gena. Mas depois que comecei o ensino médio, comecei a pensar que sou feliz sendo a Gena então coloquei o sobrenome como uma tatuagem. Eu poderia ser uma pessoa ruim e não entender o mundo, mas eu me sinto sortuda porque a vida voltou a sorrir para mim."


Créditos: A Day Magazine
Tradução: Deh @TMBR
Favor não retirar sem os devidos créditos!

Nenhum comentário: