domingo, 10 de setembro de 2017

[NEWS] Urboy TJ abre o jogo sobre sua depressão







Lançando seu décimo primeiro single, o cantor Urboy TJ revelou recentemente que a canção foi inspirada em sua constante luta contra a depressão.




TJ disse que tudo começou quando, há dois anos, percebeu que não tinha mais um trabalho fixo, sentindo-se solitário. Ele até mesmo tentou suicídio, mas resolveu canalizar suas angústias para compor músicas.

"Canalizei todas as minhas energias para a música. Em 'Do You Mind', falei sobre minha vida. Mostrei um lado que as pessoas não conhecem, já que sou brincalhão e divertido. Posso até ter sido confundido como vilão. O videoclipe reflete como sou em meus piores momentos, seja chorando ou destruindo objetos. Espero que todos assistam e entendam não só a mim mas a doença também".

"Na época, ninguém perguntou. Mas ainda lembro do drama, porque fiquei com muita raiva. Foi um episódio deprimente."

O assunto vêm a tona quando um dos maiores artistas do século, Chester Bennington, do Linkin Park, foi encontrado morto, como consequência de sua depressão. "Naquele momento, não associei as coisas. Mas digo hoje que compreendo como ele deve ter se sentido, porque eu já estive nesse ponto. Minha sorte é a de estar vivo."

Sobre pensar em suicídio, ele esclarece: "Já tive esse pensamento, sim. Inclusive, fui para o hospital, onde pensei várias vezes em motivações. É uma doença horrorosa e muitas pessoas não a consideram grave. Mas eu a considero tão grave quanto o câncer."

"Depois que me vi sem contrato, depois que me vi a caminho de um hospital, resolvi procurar ajuda. Busquei um bom psiquiatra, que tratasse especificamente a depressão, e então, comecei o tratamento. No início do mês seguinte, como comecei a me sentir um pouco melhor, aprendi a canalizar tudo para a música."


Sobre sentir-se sem rumo após o fim da banda 3.2.1, ele diz: "Sim, fiquei mal por dois anos, e, hoje, ainda não me sinto recuperado disso. Há uma grande diferença entre estar curado e estar recuperado."
"Os amigos me ajudaram a ver que não estava só", completou. "O ambiente em que vivemos não é tão fácil, mas sabendo como lidar, conseguimos passar os dias."

Sobre recorrer à drogas, ele completa: "Nunca me vi nesse ponto de pedir ajuda às drogas. A única coisa que minha mãe me pediu e eu sigo fielmente é que nunca tivesse de usá-las. E prefiro obedecê-la a me rebaixar a tanto."
"Acho ridículo essas pessoas que associam o fato de ser artista, rapper e ter tatuagens à alguém que precisa, necessariamente, usar drogas. Minha arte vem naturalmente, não preciso dessas coisas para poder me inspirar."

"O médico me mandou tomar alguns remédios para controle de ansiedade todas as noites, e a comer também. Como podemos ter inspiração de estômago vazio?, ele me perguntou. Vejo pessoas que trabalham sem motivações na cabeça e simplesmente não quero ser assim."

Acha que sua música foi bem recebida?
"Estou satisfeito até certo ponto. Quero ir mais além. Tenho sonho de fazer um álbum inteiro em inglês e já estou trabalhando nisso".

"Ter tatuagens parece que te deixam feio, mas eu não vejo assim. Tem gente que gosta de colecionar papéis, eu gosto de tatuagens, só isso. Me inspiro e faço. Só isso. Ninguém tem nada com isso."

Sua mãe reclamou? "Minha mãe não é muito adepta porque ela é muito conservadora, mas ela ainda está se acostumando. Ela não reclama muito porque entende que é arte. E que isso não vai diminuir meu prestígio como artista, que é uma forma de expressão. Não delimita quem presta ou não na sociedade."



"Eu não alarmei minha mãe quando percebi que as coisas não estavam legais. Fiquei com medo de assustá-la, embora a quisesse do meu lado. Ela está morando longe agora. Morar sozinho é um pouco complicado mas estou aprendendo a lidar com isso."

Sobre alguém especial, ele diz: "Sou uma pessoal muito difícil de conviver, então não tenho, até porque não tenho tempo livre. Tive uma há um tempo, mas ela entendeu que eu não poderia dar tanta atenção quando gostaria e achamos que foi melhor assim. Estou só há pouco mais de um ano. Não sinto que deveria procurar uma, porque acredito que essas coisas acontecem por acaso."

Muitos disseram que você engordou bastante...
"Sim, engordei porque minha mãe me mandou comer. Disse que eu estava muito magro antes. E se for para fazê-la feliz, eu engordo mesmo."
"Eu não vendo meu rosto, vendo minha arte. E ela me lembra disso, quando conversamos."

Créditos: Thairath
Tradução: Patty @ TMBR
Favor não retirar sem os devidos créditos.
อ่านข่าวต่อได้ที่: http://translate.googleusercontent.com/translate_c?depth=1&hl=pt-BR&rurl=translate.google.com&sl=auto&sp=nmt4&tl=pt-BR&u=http://www.thairath.co.th/content/1063037&usg=ALkJrhhG_mHOv4o7jwzRXDkrUk5o51o9gg

Nenhum comentário: