segunda-feira, 19 de junho de 2017

[NEWS] Slot Machine prontos para detonar!


Uma coisa é ter uma fanbase em seu país. Mas, para muitos artistas, o objetivo é fazer com que isso atravesse oceanos e alcance reconhecimento internacional. Depois de uma década à frente do cenário rock tailandês, a Slot Machine decidiu conquistar o mundo.

Ano passado, a Slot Machine lançou seu primeiro álbum em inglês, Spin the World, e saiu em tour afora. Eles se apresentaram em vários festivais grandes da Ásia e também nos Estados Unidos e Canadá, com a estrela japonesa Miyavi e a banda de rock coreana Kiha & the Faces.
Agora, depois de um ano de estrada, os caras —  o vocalista Karinyawat Durongjirakan (Foet), o baixista Atirath Pintong (Gak), o guitarrista Janevit Chanpanyawong (Vit) e o baterista Settharat Phangchunan (Auto) — voltaram para casa com um novo show, a Slot Machine - The Mothership. Começando dia 26 de Agosto, na Impact Arena, esse show especial traz a a experiência adquirida em palcos internacionais e promete transformar a noite de seus fãs em algo inesquecível.


Qual festival foi o mais memorável?
Gak: Jisan Valley Rock Music e Art Festival Na Coréia do Sul. A platéia dançou e cantou todas as nossas músicas, especialmente  “And We Go.”
Foet:  Coreanos parecem ser bons em movimentos básicos de dança, então você começa a entender porquê artistas do K-POP são bons dançarinos. Mas prefiro o Fuji Rock. Todo mundo se esforçou em figurino. E foi extremamente bem organizado. Tivemos problemas antes com nossos pontos, que deram pane, mas continuamos com o show.
Auto: Eu gostei do Super Slippa, em Taipei. Tinha um alto padrão de apresentação. Cantamos com o artista chinês Della Wu em nossa música, “Kloem.” E tinha fãs taiwaneses que sabiam cantar as músicas em tailandês.
Vit:  Gostaria de mencionar um show que fizemos em Mianmar, para o MTV EXIST, que é contra tráfico humano. Foi a primeira vez que nos apresentamos lá e a platéia foi fantástica. Todos pularam junto com a música, e podíamos sentir o chão tremendo o tempo todo. Foi inspirador. Queremos continuar fazendo pessoas felizes com nossa música.
Suas músicas em tailandês ganharam bastante notoriedade com público estrangeiro. Foi importante para fazer o álbum em inglês?
Foet: Sim, inglês é a língua universal.
Gak: O inglês nos ajudou a quebrar uma barreira nossa com o público internacional. Foi por causa das músicas em inglês que eles conheceram nossas músicas em tailandês. 
Foet: Acredito que devem ter achado o idioma tailandês interessante, porque não possuem conhecimento do idioma.
Gostaram de fazer turnê pela América do Norte com Miyavi e Kiha & the Faces?
Foet: Sim, foi fantástico. Miyavi já tinha uma fan base sólida na América do Norte, então muitos vieram aos shows, vê-lo. Foi uma ótima oportunidade de alcançarmos um público maior.

Como é Miyavi?
Foet: Ele é muito legal. Fiquei meio receoso de brigas, já que éramos apenas homens. Mas todos tinham os mesmos objetivos, apresentar nossa cultura e nossa música. Então ficamos amigos. Até dividimos macarrão instantâneo. Ainda mantemos contato com ele.
Pode nos contar como foi se apresentar no Classic Rock Awards, em Tóquio?
Auto:  Foi uma experiência incrível. As lendas do rock, Jimmy Page e Jeff Beck, estavam lá. Ensaiamos bastante porque estávamos muito nervosos. Estar no mesmo local que eles nos fez sentir que estamos no caminho certo. Estamos fazendo com que o mundo conheça o rock tailandês.
O que os fãs podem esperar de The Mothership?
Foet: É a sequência do nosso show anterior, The First Contact, que teve um retorno formidável. Tudo, desde a produção do show até as músicas e a apresentação, serão infinitas vezes melhor, dessa vez. Não queremos decepcionar nossos fãs.
Auto:  Nos apresentamos em diversos países e ganhamos muita experiência. Estamos prontos para mostrar nosso progresso. Não perca!
Por que o show atrairá os fãs do Slot Machine?
Gak: Somos muito caxias em relação a ter um bom show. Mas acho que o público gosta mais do clima aconchegante e unido. Depois de nossos shows, o público sempre diz que o cansaço e o estresse sumiram. Steve Lillywhite, que produziu Spin the World, concordou trabalhar conosco porque a banda é como uma família.


Créditos: Bangkok Post
Tradução: Deh @TMBR
Favor não retirar sem os devidos créditos!

Nenhum comentário: