segunda-feira, 15 de agosto de 2011

[Cultura] Comida de Rua

Hoje falaremos de um assunto muito importante na vida de todos nós, algo que vai fazer a diferença [e bota diferença nisso!] quando você for visitar a Terra do Sorriso: Comida.
Bem, eu não sei vocês, mas eu tenho uma queda monstruosa por toda essa bobagem que se vende em barraquinha (cachorro quente e hambúrguer de barraquinha então, vixe!). Mas não vim falar dos meus gostos culinários. Vim falar um pouquinho do que é e como é essa coisa de comida de rua na Tailândia.

Espetinho de Porco (moo sa-tay)
Vem com molho de amendoim e rodelas de pepino/cebola.

Você olha esse prato aí em cima e pensa, "hmmm, gostoso!". Nunca comi comida tailandesa mas pelo que leio e escuto dos que já apreciaram dessa culinária, os comentários são bastante bons.

É claro que você não vai ganhar um tapete vermelho, no meio da rua, para você comer o seu maravilhoso espetinho de porco, é quase como ir numa feira, sinceramente. São algumas barraquinhas próximas umas das outras, e o cheiro se mistura.

Eis um exemplo.

Comida de rua sempre tem aquele "Eca, comida de rua", acho que isso acontece no mundo inteiro. Mamãe sempre diz, "dá dor de barriga", "não é saudável" etc, mas geralmente é mais gostoso do que feito em casa. Não sei se é feito de duendes ou o que seja, mas é muito gostoso.
Lá não poderia ser diferente, mas mesmo assim, muito turistas, a maioria com medo, fica com os dois pés atrás antes de comprar algo na rua. Até entendo a preocupação, porque é um país diferente, os ingredientes são outros, e se você não prestar atenção no que você está comendo, é óbvio que você vai parar no pronto socorro, implorando pra sua mãe vir buscá-lo.


Khao Mok Gai (arroz amarelo com frango)
Viu, não parece tão mortal!

Diz a história que as barraquinhas de comida de rua surgiram por causa daqueles que resolviam fazer viagens a pé pelo país e quando aquela fome negra batia, nenhum miojo curava (estou usando miojo no estilo livre, uma figura de linguagem). Eis que, nessa caminhada, eles avistaram uma barraquinha ao longe, e o cheiro que vinha de lá era de arrepiar. Eles correram até lá e comeram ao máximo que conseguiram, torcendo para encontrar outra barraquinha e assim foi o início da gloriosa (?) história das Barraquinhas de Comida de Rua.

Claro, muita gente não acreditou nessa história e ainda hoje existem aqueles que ficam receosos, mas acho que todo mundo já aceitou que isso é o que podemos chamar de "Culinaria de Verdade" da Tailândia.
Entre comer em um restaurante luxuoso, com ar condicionado, pessoas que só faltam mastigar pra você - e comer na rua, vendo o que você está comendo sendo feito, sentindo o cheirinho antes de degustar, o que você prefere?


Khao Moo Grob (Lombinho com Arroz)
Parece gostoso!
Os hábitos de comer casam direitinho com essa coisa de barraquinha, porque os tailandeses comem pequenas porções de comida, várias vezes ao dia - fora de casa. Então as barraquinhas vieram a calhar, visto que por exemplo, agora você pode querer comer frango e mais tarde, um pedacinho de lombinho. Podemos inclusive dizer que a barraquinha é o "Ponto de Encontro da Galera", porque claro, tailandeses são muito sociais.
E para completar, é tão barato (entre 25-30 baht) que vale mais a pena você sair pra comer do que comprar ingredientes, ir pra cozinha, demorar um tempão cozinhando... Eu aprovo (e aposto que os amigos que também não têm um relacionamento bom com a cozinha, também!).

Vale dizer, entretanto, que se você pensa em ir pra Tailândia montar uma barraquinha, não é bem uma boa idéia. Ao mesmo tempo que parece "Oh, dá dinheiro, muita gente come" etc e tal, inclua aí comprar ingredientes, que nem sempre são tão baratos, gás, a licença pra poder fazer isso...

Fato: Esse tipo de comércio é, em grandes proporções, negócio de "Mamãe e Papai montam uma barraquinha e os filhos trabalham fazendo mil coisas".

Agora vamos às sub-divisões das Barraquinhas.

1. Há aquelas barraquinhas que estão mais preocupadas em satisfazer a fome/conforto dos tailandeses. Estes alugam uns lugares, do estilo de uma pequena garagem, tem mesas e cadeiras. A especialidade é geralmente macarrão, arroz ou frango;

2. O segundo são aqueles que alugam espacinhos no meio da rua, colocam mesas e cadeiras e estão sempre tão juntos que você não sabem qual é a barraquinha que você comprou. O material é daqueles que você pode guardar, levar pra casa e trazer no dia seguinte. Esses sim são pertencentes àquele grupo que falei anteriormente, de "Mamãe e Papai têm um negócio";

3. Aqueles que esperam as lojas fecharem para poder montar suas barraquinhas na frente. Estes trabalham no esquema "faço vários pratos diferentes, escolha o seu!". Como no exemplo abaixo:

Quero isso e um pouco daquilo ali...

4. E finalmente, aqueles com carrinhos móveis, que carregam uma panela gigante em uma extremidade e na outra, as comidas cruas. Fazem a comida na hora e voilá! Dizem que é o mais barato, mas não o mais confiável...

"Dez Mais Vendidos":

- Som Tam - Salada apimentada com mamão;
- Khao Mun Gai Tom - Frango grelhado com arroz cozido no molho de galinha;
- Rat Naa - Macarrão frito com porco;
- Ba Mee Nam - Sopa de macarrão com ovo amarelo e wonton;
- Pad Thai - Macarrão frito com camarão seco e tofu;
- Johk - Sopa de Arroz, excelente para o café da manhã;
- Pad See Iew - Macarrão frito com porco e vegetais verdes;
- Khao Pad - Arroz frito;
- Pad Krapow Moo - Porco frito em bastão com arroz
- Khao Moo Daeng - Carne vermelha com arroz;


Então, quando você for pra Tailândia e se deparar com essas barraquinhas, não tenha tanto medo a ponto de preferir morrer de fome a comer. O máximo que pode acontecer contigo é um mal estar, mas nada que um remédio não resolva.
Viva! Coma! E traga suas experiências para nós! ;)


Fontes: Visit Chiang Mai / Enjoy Thai Food
Adaptação: Deh @Thai Music BR
Favor não retirar sem os devidos créditos!


Nenhum comentário: